Acordo de cavalheiros? Escravização?

CATEGORIA NT

Deu na Reuters.

Apple, Google e outras pagam US$ 300 milhões por evitarem contratar funcionários da concorrência.

Rob Cook da Pixar pede autorização a JobsEm 2011, cinco funcionários do Vale do Silício decidiram processar Apple, Google, Intel e Adobe por uma prática nociva de recursos humanos: elas teriam firmado um “acordo de cavalheiros” para não contratarem talentos umas das outras. O processo acabou virando uma ação coletiva, representando 64.000 pessoas, e seria julgado no fim de maio. Mas as empresas decidiram fechar acordo extrajudicial e pagar US$ 324 milhões, segundo a Reuters.

Ao se unirem para não “roubarem” funcionários umas das outras, as empresas de tecnologia evitam aumentar a remuneração deles – afinal, não é necessário fazer uma contraproposta para evitar que eles saiam. Essa prática ocorreu entre 2005 e 2009; em 2010, Google, Apple, Adobe, Intel, Intuit e Pixar fizeram um acordo com o Departamento de Justiça dos EUA para nunca mais firmarem esse tipo de acordo.

A ação coletiva iria cobrar US$ 3 bilhões em danos, o que poderia triplicar para US$ 9 bilhões sob a lei antitruste dos EUA. Com o acordo extrajudicial, isso não vai mais acontecer. 

Mas há quem acredite na permanência dos acordos de não-contratação entre algumas empresas bem grandes ainda nos dias de hoje.

Clique aqui para ler a matéria completa.

UTILIZE E CITE A FONTE.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s