DESENCALHANDO A PESQUISA: DADÁ E A DESORDEM EXPERIMENTAL.

Epistemologia & Método.

Quando, em 1916, liderados por Tristan Tzara (romeno), Hugo Ball (alemão) e Jean Arpes (francês), escritores, poetas e artistas plásticos se encontraram no Cabaret Voltaire de Zurique, estavam desesperados.

No segundo ano da guerra que há um século aniquilou o que melhor havia na Europa, estes intelectuais de todas as nacionalidades – alguns refugiados, outros desertores -, procuravam encontrar uma saída para o impasse entre a sensatez e a realidade.

Não era mais o caso de zombar do tradicionalismo dos filisteus da cultura. Havia ficado evidente o fracasso das ideias estabelecidas diante da crueldade da guerra. A realidade nua e crua havia alcançado a todos e o conforto do sabido e do constituído estava em ruínas.

Clique aqui para continuar lendo.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s