ÉTICA: Fontes da filosofia moral – G.E.M. Anscombe.

Ética.

Em um texto de apenas 16 páginas elípticas, Gertrud Elizabeth Margaret Anscombe, (Irlanda, 1919; Cambridge, 2001) fez retornar o tema da virtude ao centro das preocupações morais na segunda metade do século passado.

Publicado em 1958, o ensaio Modern Moral Philosophy critica as orientações, dominantes à época, para os deveres morais em detrimento do bem; para a imparcialidade, em detrimento da comunidade; para a teorização, em detrimento da sensibilidade.

Discípula e tradutora de Wittgenstein, Anscombe desenvolveu a action theory, uma conjectura que retoma a intencionalidade (Why?) como chave da ética. Titular de Cambridge, abonou a integridade das expressões irracionalistas, isto é, das filosofias que sustentam o primado da intuição sobre o conceito, como em Bergson, ou da ação sobre o pensamento, como nas várias formas de pragmatismo.

O legado de G.E.M. Anscombe para o século XXI foi o de ter alentado as correntes antiteóricas da ética, tanto as religiosas como as progressistas, que reivindicam a precedência da pessoa e da coletividade sobre a ideologia e a norma. Inclusive a norma legal.

 

UTILIZE E CITE A FONTE.
Anscombe, G.E.M. (1981) Collected Philosophical Papers. Minneapolis, MN. University of Minnesota Press.

Anscombe, G.E.M. (1963) Intention. Oxford: Blackwell.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s