TRABALHO: Galbraith – O trabalho contra si.

Trabalho.

John Kenneth Galbraith, economista de Harvard, demonstrou que o incentivo à produtividade subsidia uma relação econômica perversa.

Atraídos pelos fetiches do consumo desnecessário, do lazer organizado e do luxo decadente, os trabalhadores operam em favor do seu próprio descarte, substituindo-se pelas técnicas e pelas tecnologias que ajudam a criar e a aperfeiçoar.

Galbraith causou grande embaraço. Não só pelas demonstrações brilhantes da inutilidade do excedente e da crueldade tecnológica que desumaniza o trabalho, mas pela irracionalidade do esforço sem sentido, do esforço que gera uma riqueza que o trabalhador não poderá consumir.

A constatação de Galbraith data de 60 anos. Não perdeu validade. No capitalismo avançado, a ignorância, a cobiça e a irreflexão seguem fazendo dos trabalhadores algozes econômicos de si mesmos.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Galbraith, John Kenneth (1967). The Affluent Society (1958). London. Pelican-Penguin.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s