EPISTEMOLOGIA: Heurística – Indutivismo – quase-nulidade heurística.

Epistemologia.

O Indutivismo é a doutrina de que toda pesquisa científica deve proceder seguindo os passos: observação, classificação, interpretação das relações entre os fenômenos, generalização e predição.

Na inferência indutiva passa-se de indícios percebidos à realidade desconhecida, do especial ao mais geral, dos indivíduos às espécies, das espécies ao gênero, dos fatos às leis.

Embora seja de uso quase obrigatório nas publicações acadêmicas do campo sócio-humano, a indução envolve generalizações não comprováveis, só se aplica a observações diretas e dificilmente gera descobertas ou invenções.

Como instrumento heurístico, o processo indutivo tem pouco ou nenhum valor. Tende a gerar novas proposições, mas não novos conceitos, isto é, conceitos que não aparecem na base de dados considerada.

Não sendo possível observar a partir do nada, as hipóteses lançadas pelo pesquisador ou bem são infundadas ou bem são programáticas, ou seja, predeterminadas no que se refere à relevância dos dados e informações.

Ao se inferir indutivamente encontra-se – ou não – o que se esperava encontrar, sendo possível, no entanto, como em qualquer forma de experiência, que o simples exercício de investigar leve casualmente a descobertas e invenções.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s