TRABALHO: A domesticação pelo trabalho.

Trabalho.

Nas pinturas dos túmulos egípcios de 3.000 anos atrás veem-se bois padecendo sob o jugo de um arado. O agricultor que os flagela é uma figura curvada e abatida. Tratado da mesma forma que o animal, sofre a castração psíquica que lhe veda a satisfação das necessidades corporais, emocionais, intelectuais e sociais que conformam a natureza humana.

Milênios passados, mudou a forma, não o conteúdo ou a intenção. A Antiguidade grega registrou uma esperança de redenção do trabalho servil. Mas foi incidental e transitória. Os atributos do bem viver (a bella vita) e do adestramento da sociabilidade em Aristóteles – temperança, justiça, coragem e fortitude – vigoraram só para alguns e não resistiram ao cristianismo. As virtudes de resignação (fé, esperança e caridade), logo voltaram a impor a complacência como espelho ideal da vida autorizada.

É que a economia requer a domesticação, tanto no sentido do manejo da natureza, quanto no de assentamento (no domus). Requer que se amanse, seja o selvagem, o independente, o autárquico ou o livre, de modo que possa ser útil ao sistema.

Nos regimes organizacionais da atualidade, o martírio decorre da necessidade de manter coesa a plebe e baixa a lucidez. Desta necessidade procede o treinamento, na forma como a domesticação deriva do adestramento, como a submissão decorre da covardia, como o servilismo decorre do terror.

As tecnologias aplicadas ao trabalho são parte dos processos psicagógicos, [a arte de guiar as almas pelo melhor caminho]. Os operadores coletivos, ao converterem exterior em interior, amansam a interioridade, de forma que o humano não se dê conta de que continua servindo aos poderosos e se preste a avassalar o seu semelhante.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Hagen, Rose-Marie et Rainer (2016) Les dessous des chefs-d’œuvre: un regard sur les grands maîtres. Köln. Taschen Bibliotheca Universalis.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s