ÉTICA: Williams & Jonas – Sorte moral e responsabilidade.

Ética.

O conceito de “sorte moral” (moral luck) decorre da constatação de que o cálculo probabilístico não se aplica aos julgamentos éticos.

O argumento, de Bernard Willians, é de que não havendo como conceber dados retroativos, nem malabarismos estatísticos que abonem um juízo sobre o futuro, a razão nos obriga a admitir que a moralidade de nossas escolhas corresponde a uma aposta, e a uma aposta que podemos perder, mesmo quando as leis da probabilidade dizem que deveríamos ganhar. 

Descartado o cálculo, o recurso que temos para fundamentar nossas escolhas em relação ao futuro é nos basearmos no “princípio da responsabilidade”. O argumento – este de Hans Jonas – é o de que a precaução razoável, alicerçada nos princípios e nas informações presentes, é a única justificativa que temos para quando o azar faz com que nossas decisões tenham efeito perverso. 

O exemplo que Willians apresenta é emblemático. O general americano Curtis LeMay, dirigente do Strategic Air Command na região do Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial e responsável pela destruição com bombas incendiárias de mais de setenta cidades, além de transmissão da ordem de lançamento das bombas de Hiroshima e Nagasaki, disse um dia: “se tivéssemos perdido, nós teríamos sido julgados e condenados como criminosos de guerra”. 

A observação é correta do ponto de vista político. Mas não da filosofia moral. Do ponto de vista da ética, LeMay, o presidente Truman e a democracia americana carregarão para sempre, para o túmulo e para além-túmulo, se houver um além-túmulo, a culpa pela morte de mais de 200 mil civis, dos quais cerca de 60 mil crianças.

Isto porque a assinatura da responsabilidade moral está em se abstrair os eventos projetados na fundamentação das ações presentes. No plano da ética, não são as gerações vindouras, nem somos nós, no futuro, os que julgarão. Os juízes, os inocentes e os culpados somos os presentes. Aqui e agora.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Jonas, Hans (1984). The Imperative of Responsibility: In Search of Ethics for the Technological Age (translation of Das Prinzip Verantwortung by Hans Jonas and David Herr. Chicago. University of Chicago Press.

Williams, Bernard (1981) Moral luck. London. Cambridge University Press.

Williams, Bernard (2005) Moral, uma introdução à ética Tradução de Remo Mannarino Filho. São Paulo. Martins Fontes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s