A sombra que acompanha e aguarda.

Perplexidades.

Para os antigos egípcios, o ser humano era composto de sete elementos. O corpo (jat) servia de amparo; o nome (rem) dava a identidade pessoal; o coração (ib) abrigava o duplo ou a consciência; o (ka) continha a força vital ou alma; o (ba) a personalidade; o (aj) somava a consciência e a alma para acolher o espírito transfigurado. Por último, a sombra (shwt) tinha funções protetoras. 

Nós, ímpios, absorvemos sob formas diversas os seis primeiros elementos, mas deixamos a sombra de lado. Desprezamos o abrigo opaco, que para os egípcios tinha um significado próximo ao do anjo da guarda. 

Representada pela figura em negro, a sombra era algo que os deuses haviam concedido para acompanhar os humanos, para atenuar o calor do deserto e para resguardar do mal. Era tão importante que os faraós transmitiam “a sombra das divindades” e os templos eram denominados Sombra de (seguido do nome do deus titular). 

Ao final da vida o corpo inerte ainda se interpunha entre a luz e a sua projeção. Depois, na escuridão absoluta do túmulo, a sombra ficava invisível. Mas lá estava. O embalsamento (o cobrir com bálsamos aromáticos) e a mumificação (de mumya, betume) preservavam o corpo e sua sombra, esperando que ressuscitassem para a claridade. Tanto que o título completo do Livro dos Mortos é: Livro dos Mortos da Saída para Luz do Dia.

Nós, descuidados, preferimos esquecer que a sombra é o elemento que permanece a cada mutação da nossa consciência, da nossa força vital, da nossa personalidade, do título que nos outorgamos. Imprudentes, dissipamos a única parte de nós que nos acompanha desde o nascimento. Arrogantes, evocamos a racionalidade para abdicar do retorno ao sol no Além-Túmulo. 

Guilhou, Nadine et Peyré, Janice (2014) La mythologie égyptienne. Paris. Éditions Marabout
Hart, George (2005) Dictionary of Egyptian Gods and Goddesses. London. Routledge
Wilkinson, Richard H. (2017) The complete gods and goddesses of ancient Egypt. London. Thames & Hudson Ltd.

 

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2020 – A sombra que acompanha e aguarda. A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensarhttps://hermanoprojetos.com/2020/07/22/a-sombra-que-acompanha-e-aguarda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s