Fontes da filosofia moral: Nietzscheniana.

Ética.

As postulações morais egressas dos diversos campos da humanidade mantêm-se na superfície dos fatos. Tratam de eclipsar as questões mais difíceis. Evitam a suspeição analítica e epistemológica sobre os julgamentos de valor.

E, no entanto, hoje, mais do que nunca, é necessário lançar dúvidas sobre nossas convicções éticas. É urgente debater as nossas crenças sobre a racionalidade das condutas, a boa vontade geral e a imparcialidade dos juízos morais.

O transtornado mundo em que vivemos não pode prescindir dos que se disponham demonstrar a fragilidade dos argumentos sancionados. Não para destruí-los, mas para abrir caminho a vidas esclarecidas.

Um ceticismo psicologicamente e historicamente situado seria benéfico para romper com o marasmo das verdades aceitas e dos academicismos estabelecidos. Precisamos restaurar Nietzsche, cujo legado não se limita a ter inspirado pensadores como Heidegger, Wittgenstein, Buber, Freud, Menken ou Foucault. Nem se restringe a ter demonstrado a impossibilidade de uma ética isenta. Cujo legado maior foi o ter evidenciado o imperativo de uma filosofia moral lúcida.

 

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2020 – Fontes da filosofia moral: Nietzscheniana. A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensarhttps://hermanoprojetos.com/2020/09/16/fontes-da-filosofia-moral-nietzscheniana/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s