A raiz histórica da moral cristã.

Notas.

cross-g012ff6a28_1280Em 1985, o teólogo norte americano Robert Funk (1926- 2005) fundou o Jesus Seminar. O propósito era (ou é) utilizar métodos históricos para determinar aquilo que Jesus, como uma figura histórica, pode ou não ter dito ou feito.

O Seminar foi dissolvido ou, mais provavelmente, se mantém em segredo, dada a perseguição e a perda dos empregos sofrida pelos mais de 200 professores universitários que o integraram.

As conclusões a que chegaram:

  • Jesus existiu, operou curas e ensinou mediante parábolas;
  • Sua capacidade psíquica era extraordinária, como extraordinário era o seu intelecto e a forma de ver que inaugurou;
  • Na Parábola do Filho Pródigo, que retorna e é perdoado após haver roubado e dilapidado a fortuna do pai, há duas ideias que não preexistiam: a do perdão total concedido pelo Pai, e a da caridade, expressa na felicidade do Pai. Nada se declara sobre as reações e os sentimentos do filho.
  • Ao longo de um período, um ano, segundo Marcos ou três anos, segundo João, Jesus começou a se convencer – devido as curas que conseguia – que o reino de Deus estava próximo. Convence-se também que todos, inclusive ele, somos filhos de Deus.
  • Não há nada de mágico ou sobrenatural na vida de Cristo. No evangelho de Marcos, o mais confiável historicamente, não há ressureição. O túmulo está vazio. É tudo.
Cf – https://en.wikipedia.org/wiki/Jesus_Seminar

UTILIZE E CITE A FONTE.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s