A tolerância: de Erasmo a Voltaire.

Ética.

erasmo voltaireO termo tolerância tem duplo significado: o explícito, de que o Outro deve ser aceito, e o implícito, de que é inferior. Tolerar é presumir o dessemelhante como vulgar, inepto e pernicioso.

A tolerância é uma estratégia, não uma virtude. O termo só passa a significar a passividade entre os credos após as guerras religiosas dos séculos XVI e XVII. Os argumentos a seu favor – todos extra-morais – se mantém inalterados desde aquela época.

O argumento político, de Espinosa (1603-1677), diz que a intolerância reforça a convicção dos que discordam e gera a revolta. O argumento heurístico, de Voltaire (1694-1778), diz que devemos ser tolerantes porque pretender ter a razão absoluta anula a possibilidade da descoberta. O argumento religioso, de Erasmo (1466-1536) e de Locke (1632- 1704) diz que a perseguição é violência e que a violência se opõe à civilidade e à caridade. O argumento essencialista (de Erasmo) diz que se concordamos política ou religiosamente no fundamental (credo minimum), a razão da intolerância desaparece. O argumento legalista (Locke e Erasmo) diz que a intolerância é um mal porque produz a coalizão dos discordantes e porque a repressão dos hereges, ao criar mártires, é contraproducente. Com maior força, Voltaire argumentou que a tolerância se opõe ao fundamentalismo. Que é preciso esmagar o fanatismo cristão (écraser l´Infâme), alicerçado na superstição e na ignorância, em nome do interesse público. Além disso, tolerar, sintetiza Voltaire, é melhor também do ponto de vista econômico: favorece o comércio de bens e traz a riqueza.

As alegações em defesa da tolerância são de ordem política, heurística, religiosa, social, econômica e estratégica. Não há arguições no campo da filosofia moral. Por isso, nenhum dos seus defensores pregou a assimilação do diferente.

 

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2021 – A tolerância: de Erasmo a Voltaire. A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensarhttps://hermanoprojetos.com/2021/12/01/a-tolerancia-de-erasmo-a-voltaire/

 

REFERÊNCIAS:
Érasme (1984). Lettre à Carondelet 1523. In La correspondance d’Érasme. Bruxelles. Éditions Gerlo – De Braaf.
Érasme (1984b). Lettre Voltaire. In, La correspondance d’Érasme; Bruxelles. Éditions Gerlo – De Braaf.
Espinosa, Baruch (2009). Tratado Político. Tradução de Diogo Pires Aurélio. Martins Fontes, São Paulo.
Locke, John (1959) An essay concerning human understanding. New York. Dover.
Locke, John (2019). Carta sobre a Tolerância. Lisboa. Edições 70.
Voltaire (1887). Œuvres complètes de Voltaire. Paris. Garnier, Wikisource.
Voltaire(2018) artigo consciência, in Dicionário Filosófico Voltaire. São Paulo. Lafonte.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s