Nietzsche, o trabalhador sério.

Nota.

olho-mal“Basicamente, o homem que, dada a chance de medir-se por seus próprios padrões, justifica a sua vida no trabalho criativo, se torna um tipo de pessoa muito exigente: quero dizer que ele não pensa mais em agradar as pessoas. Ele é sério demais e elas o percebem; há uma seriedade perversa por trás de uma pessoa que exige respeito pelo seu trabalho ….”

 
Carta a Köselitz citado por Chamberlain, Lesley (2000). Nietzsche em Turim: O fim do futuro. Tradução de. Pedro Jorgensen Jr. Rio de Janeiro. DIFEL. pág. 43
 
UTILIZE E CITE A FONTE.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s