O esgotamento do parâmetro moral.

Ética.

DZ7FvVgW0AAIrYo

Até o último termo do século passado acreditou-se na viabilidade da constituição de um ideal ético unitário. As teorias morais supunham que seria possível traçar um contorno do homem justo e da sociedade perfeita.

Essa crença caiu por terra ao se comprovar que inexiste qualquer formulação que pondere os bens e valores humanos em épocas e circunstâncias distintas. Os paradigmas arcaico e clássico – o homérico, o socrático, e o aristotélico-tomista da “grande alma” – são incompatíveis entre si. Diferem, também, da “virtu” romana, que conflita com a “superbia” do renascentista Maquiavel e das concepções cristãs de humilias e de fraternitas. Essas, por sua vez, nada têm a ver com as ideias de solidariedade e de pattern arbitrário, imperantes no Ocidente desde o século passado.

O Brasil é bem exemplo da incongruência das idealizações morais. Não há uma continuidade cultural entre nós. De um lado, a conjunção dos elementos indígena, europeu e africano jamais se homogeneizou. De outro, o elemento dominante, Portugal, tendo perdido a autonomia política entre 1580 e 1640, decaiu vertiginosamente entre os séculos XVII e XVIII. Passou à periferia da Espanha do Barroco, ao largo da Itália da Arcádia e da França do Iluminismo.

Culturalmente colonizados, produzimos ao longo dos dois últimos séculos uma amálgama que, tendo pedido emprestado aos franceses o modo de pensar burguês e aos ingleses a forma mercantil de conduzir a economia, hoje acocora-se docilmente ante o management pragmático norte-americano.

Desde sempre e em toda parte os bens e valores identificados por quaisquer moralidades – culturais, sociais, de forma de vida, etc. – são competitivos entre si. Nada autoriza a esperança ou ilusão de que se encontre um ponto em comum que sirva de ajustador entre essas divergências. A observação não é lastimosa. É possível que o multiculturalismo favoreça a abertura para uma ética pluralista, uma atitude esclarecida em um mundo globalizado.

 

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2022 – O esgotamento do parâmetro moral. – A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensar – https://hermanoprojetos.com/2022/03/04/o-esgotamento-do-parametro-moral/

 

REFERÊNCIAS:
Cf – Bosi, Alfredo (2015). História concisa da literatura brasileira. São Paulo. Cultrix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s