Anarquismo Natural.

Notas.

pero

Pero de Magalhães Gândavo (Braga, 1540-1579), no Tratado da Terra do Brasil, escreveu que a língua dos índios brasileiros “… carece de três letras, convém a saber, não se acha nela (no Tupi) F, nem L, nem R, cousa digna de espanto porque assim não têm Fé, nem Lei, nem Rei e desta maneira vivem desordenadamente, sem terem além disso conta, nem peso nem medida.”

O argumento, similar aos raciocínios filológicos de Heidegger, é disparatado. Mas a constatação é verdadeira. O anarquismo é natural. Está presente na maioria dos povos não contaminados pela lubricidade e pela cobiça.

Gândavo, Pero Magalhães (1576). Tratado da Terra do Brasil e História da Província de Santa Cruz a que vulgarmente chamamos de Brasil. Citado por Bosi, Alfredo (2015). História concisa da literatura brasileira. São Paulo. Cultrix (44ª. Edição).
UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2022 –  A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensarhttps://hermanoprojetos.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s