Sissemia – trabalho-escravo.

Trabalho.

A palavra “sissemia” denomina a figura sintática em que cada termo de uma expressão perde seu significado, assumindo o conjunto uma acepção diferente. Por exemplo: germanum em latim significa “legítimo”, a cópula fratus germanus, nomeia a figura jurídica “irmão legítimo”. Separadas, as palavras “irmão” e “legitimo” têm sentido diverso. O mesmo se passa com expressões como “sempre-viva” em que há uma flor; como “pé-de-cabra”, em que há uma ferramenta, mas não um pé ou uma cabra; e como “pé-de-moleque”, em que há um doce, mas não um moleque ou um pé.

Desmembrada a expressão “trabalho-escravo”, as palavras “trabalho” e “escravo” denotam respectivamente uma atividade humana e uma condição sub-humana. A forma que entendemos o étimo trabalho nada tem a ver com a condição penosa e compelida do escravo. O escravo produz apenas para conseguir sobreviver sem ser castigado. Não tem relação alguma com o que produz e aquilo que é obrigado a fazer gera o rebaixamento de um ser humano à condição animal.

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2022 – Sissemia – trabalho-escravo. A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensar https://hermanoprojetos.com/2022/08/12/sissemia-trabalho-escravo/
REFERÊNCIAS
Silveira Bueno, Francisco da (1967). Estudos de filologia portuguesa. Rio de Janeiro. Saraiva Editora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s