Tédio criativo: a solução de Putnam.

Epistemologia.

Andy Warhol

Ninguém sabe ao certo o que excitou a inventividade de Andy Warhol (1926-1987). Ele próprio creditou sua compulsão criativa ao tédio mortal em um mundo onde “… todo mundo pensa sempre a mesma coisa e a cada ano tudo fica mais parecido”. Uma atmosfera em que “aqueles que falam sobre individualidade são os que mais se opõem a qualquer desvio …

Exatos trezentos anos antes de Warhol, Blaise Pascal (1623-1662) havia advertido sobre o poder inspirador do tédio. O argumento era semelhante: o despertar da necessidade obsessiva de procurar algo diferente, algo que desse sentido à existência, fosse o ainda oculto ou o inteiramente novo.

Passaram-se os séculos. Nem a Ciência, nem a Filosofia puderam ainda dar conta de como o enfado promove o evento heurístico. Até mesmo a fenomenologia e a filosofia analítica, matrizes da atualidade, falharam em explicar satisfatoriamente a distinção entre o tédio imobilizador e o indutor.

Talvez a mais sintética solução para essa dificuldade tenha sido encaminhada por Hilary Putnam, quando escreveu que distinguir entre o que existe concretamente no mundo e o que projetamos nele é improdutivo.  Estendendo o raciocínio, chega-se a que produtiva seria a conjunção entre o temperamento e a fantasia.

É possível que, sendo o tédio imobilizador relacionado tanto ao sujeito (o entediado) quanto ao objeto (o entediante), ao reagir a ambos, gente como Pascal, um matemático, filósofo e teólogo, e Warhol, um multimidiático de formação acadêmica modesta, tenha vindo a produzir, o primeiro, a recursão infinita do mesmo triângulo, o segundo, a repetição de imagens iguais ligeiramente modificadas. O certo é que, incitados pela monotonia, cada um deles em sua época e circunstância reinventou a percepção que temos do mundo.

UTILIZE E CITE A FONTE.
CHERQUES, Hermano Roberto Thiry, 2022 – Tédio criativo: a solução de Putnam. –  A Ponte: pensar o trabalho, o trabalho de pensarhttps://hermanoprojetos.com/2022/08/26/tedio-criativo-a-solucao-de-putnam/
REFERÊNCIAS:
Pascal, Blaise (1951). Pensées sur la Religion et sur quelques autres sujets, qui ont esté trouvées apres sa mort parmy ses papiers. Guillaume Desprez. # 1717
Putnam, Hilary (1988). The many faces of realism Open Court Publishing Company
Thirouin, Laurent (2015). Pascal ou le défaut de la méthode. Lecture des Pensées selon leur ordre. Champion.
Warhol, Andy (1980). Popism: The Warhol Sixties. New York: Harcourt Brace Jovanovich.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s