Michel Foucault

À moda de Foucault: um exame das estratégias arqueológica e genealógica de investigação.

Notícias & Almanaque.

Resultado de imagem para art FoucaultNo texto apresento um programa para aplicação da forma de investigar de Michel Foucault às pesquisas em ciências humanas e sociais. A partir da exposição sobre as abordagens arqueológica e genealógica, desenvolvo um roteiro genérico de pesquisa. Discuto, a seguir, os principais instrumentos e conceitos epistemológicos utilizados por Foucault. Concluo com uma apresentação dos paralelismos entre a sua perspectiva e outras modalidades de investigação qualitativa.

Clique aqui para ler o artigo original na íntegra.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Anúncios

Foucault e os cachorros de Obama.

Notícias & Epistemologia.

Revistas científicas precisam acelerar mudanças para acompanhar as novas demandas das sociedades.

Por por Thomaz Wood Jr em Carta Capital.

Revistas científicas constituem um dos pilares da ciência. Seus editores são, supostamente, os guardiões da relevância e da qualidade do que é veiculado. Pesquisadores as utilizam para expor e disseminar seus mais recentes achados. Ter um artigo publicado em uma revista importante é conquista a ser celebrada, pois reflete o reconhecimento do trabalho realizado.

A façanha costuma ser fruto de trabalho longo e extenuante. As principais revistas científicas operam como verdadeiros funis, com centenas de artigos concorrendo por espaços de publicação limitados. Os trabalhos enviados passam por uma triagem severa, que envolve editores e avaliadores. (mais…)

Terceira tese sobre a perda de centralidade no trabalho – Foucault

CATEGORIA PT

Sobreviver ao trabalhoPosição lateral às teses da desnaturalização de Rousseau e da sobreorganização de Kropotikin é a do confinamento. A ideia-mestra é de Michel Foucault (Poitiers, 1926 – Paris, 1984) que estudou os dispositivos do poder disciplinar, e sustentou que o confinamento desqualifica o ser humano, tornando-o dócil e conformista. Foucault desenvolveu sua reflexão em torno da recuperação do saber filosófico, do dito e do escrito sobre as prisões, a sexualidade, a governabilidade e as práticas de subjetivação.

A sua tese sobre a prática e os efeitos do confinamento nas prisões foi demonstrada empiricamente por Haslam e Reicher (2012) nas midiáticas (e cientificamente corretas) séries da BBC. Segundo esta tese, o ser humano confinado nas organizações, seja fisicamente seja digitalmente, se tornaria moralmente nulo. A perda de centralidade do trabalho como componente da existência humana seria fruto da aversão à ancoragem no espaço e na razão unidimensionais regida pelo poder disciplinar.michel_foucault

As teses da desnaturalização, da sobreorganização e do confinamento têm em comum a atribuição do mal estar no trabalho não ao volume ou a intensidade do esforço, mas às interações sociais. Segundo as três teses, é o desgaste na interação entre o trabalho e o trabalhador que consome e aliena o que resta de humano na atividade produtiva.

Referências:
Foulcault, Michel (1977). Vigiar e punir: nascimento da prisão [1975]; Tradução de Lígia Pondé Vassalo; Petrópolis; Editora Vozes.
Haslam, S. A., & Reicher, S. D. (2012). Contesting the ‘nature’ of conformity: What Milgram and Zimbardo’s studies really show. PLoS Biology, 10(11).

 
Sobre a primeira tese,  leia aqui.
Sobre a segunda tese, leia aqui.

UTILIZE E CITE A FONTE.