paralelos históricos

Podres poderes bizantinos.

Perplexidades & Filosofia.

Os paralelos históricos são descabidos e ilegítimos, mas não deixam de ser ilustrativos.

No declínio do Império Bizantino a estrutura burocrática se estilhaçou. Os postos oficiais se tornaram honoríficos. Os cargos caíram na escala de precedência. Novos títulos foram criados no topo da hierarquia.  Meia dezena de autocratas basileus e pelo menos nove césares chegaram a coexistir.

O costume e as normas bloquearam as demissões. Todo homem válido desempregado era encarregado de tarefas anódinas, sob ordem de questores. O moral dos soldados-policiais era mantido pelo relato de vitórias imaginárias.

Os poderosos se cercaram de eunucos, que, por lei, não podiam assumir poderes. A contestação, como a da heresia Bogomil, que desaprovava o trabalho e a procriação e adotara o princípio da resistência passiva, era simplesmente aniquilada.

O Império ruiu não devido à indolência, mas devido à profusão burocrática. Não foi a carência, mas a saturação de poderes que encerrou mil anos de história.

UTILIZE E CITE A FONTE.
Runciman, Steven (1966). Byzantine Civilization. London. Methen & Co. Ltd.
Anúncios